O código SINPO

Sempre é bom relembrarmos sobre a base de conhecimento no rádio, que nos norteia na busca de novidades pelas freqüências.

Um destes pontos, sem dúvida, é o código SINPO.

O SINPO é formado por cinco letras, se for interpretado adequadamente, reflete o resumo de forma numérica sobre a qualidade do sinal recebido de uma emissora. O SINPO refere-se a: intensidade do sinal, interferência de outra emissora na mesma freqüência (ou freqüência contígua), nível de ruído atmosférico; e ainda, a oscilação da propagação (aquele fenômeno do vai-e-vem do sinal, muito característico nas ondas curtas), e a avaliação geral da qualidade dos sinais recebidos. Tudo isto, aplicado em notas que variam de 1 a 5 para cada letra do código.

Então, ao invés do DXista escrever um ou dois parágrafos de informações sobre a qualidade verificada no sinal recebido para o coordenador de freqüências ou para o engenheiro responsável pelos sinais da emissora, ele apenas acrescenta SINPO 34533, SINPO 25552, ou SINPO 45554 às suas informações, e será perfeitamente entendido por quem as recebe num informe de recepção.

Para quais emissoras devemos informar a qualidade do sinal recebido em forma de SINPO? O SINPO deve ser informado para emissoras cujos diretores e demais da equipe técnica saibam analisar a informação recebida, e que também, acima de tudo se interessam em recebê-la. Desta lista de emissoras que nos vem à mente neste momento, devem ser riscadas as emissoras brasileiras. Estas devem receber as mesmas informações relativas ao código SINPO em forma textual. Trata-se do mesmo que o DXista expressaria por SINPO, mas, em nível de ser entendido.

Deve-se considerar o porte da emissora em questão. Emissoras consideradas de grande porte sempre devem receber informações técnicas de avaliação de sinal recebido por meio do código SINPO nos informes de recepção que escrevemos e enviamos. Outras emissoras internacionais de porte médio, como, a Rádio Ucrânia, Rádio Nepal, Sentech, entre outras, estas também devem receber as informações da qualidade dos seus sinais recebidos em formato SINPO. Não se pensa de outra forma, ou seja, procurarmos de repente até tentar explicar a qualidade de sinal em idiomas desconhecidos torna-se meio impossível. O SINPO se aplica bem nestes momentos.

Mais um detalhe importante a respeito da aplicação do código SINPO nos informes de recepção: O cuidado que se deve tomar para não se aplicar disparates, quando no entusiasmo se expressa o SINPO sem muito critério. Nestes casos podem haver desvios bastante notórios. Por exemplo, se uma recepção provinda da Alemanha chega muito bem ao Brasil, alguns rapidamente podem se sentir tentados a admitir um SINPO 55555, o que por melhor que seja o nosso receptor e antena, não se apropria (Nunca esquecer que escrever um SINPO 55555 reflete que o sinal é estupendo, não há interferência alguma, o ruído atmosférico é zero, a oscilação de propagação literalmente não existe e numa avaliação final, a qualidade do sinal é amesma do que uma emissora da nossa região, em ondas médias com sinal forte, por exemplo. E sabe-se que não o é assim).

Um SINPO deste naipe é para ser dado somente para uma transmissão literalmente local, e não numa recepção de uma emissora cujo transmissor está a mais de 10 mil quilômetros de distância, mesmo que a recepção tenha sido considerada boa (lembrar que ‘boa’ é bem diferente de ‘excelente’). São os cuidados que devem ser tomados para que a informação mereça maior credibilidade.

Outro disparate seria atribuir um SINPO como 51111. Dá para se entender bem o porquê olhando-se de imediato a série de números. Portanto, o cuidado na análise do sinal recebido e a associação deste com um SINPO são sempre requeridos. Oportunamente estaremos discorrendo individualmente sobre as propriedades e características de cada elemento do código SINPO (letra, o número atribuído e sua interpretação). Por hora, a preocupação de sempre fazermos um bom trabalho nesta área, garantindo sempre uma boa imagem do DXista onde quer que ele se encontre.

Mas, esta avaliação de sinal, mesmo sendo um procedimento técnico, não éresultado de medição através de qualquer aparelho mas sim realizada totalmente através do critério sensitivo pessoal do radio escuta. Através de sua sensibilidade e senso crítico o radio escuta irá determinar notas de 01 a 05 para cinco tópicos avaliadores do sinal que está captando.

A seguir informarei os princípios e procedimentos para determinar estes cinco números que compõem a avaliação do sinal em nossas escutas. Saliento que esta avaliação deve ser feita tópico a tópico, na ordem da sigla, observando com atenção, comparando mentalmente e dando a nota. Somente após ter concluindo o processo em um tópico é que devemos passar para o tópico seguinte.

Este cinco números são determinantes de cinco respectivos tópicos de avaliação que são:

1º) INTENSIDADE DO SINAL: Neste tópico, que equivale à 1º letra (S) da palavra SINPO, o radio escuta irá avaliar a potência do sinal que o transmissor da rádio está colocando no seu receptor. Vale lembrar que esta potência ou intensidade de sinal não tem nada a ver com o volume pois este é uma condição ajustável do receptor.

A intensidade de sinal que é codificada pelos radioamadores como QSA (aparece esta sigla em alguns Informes padrão de Emissoras) pode ter as seguintes gradações: Excelente..............nota 5
Bom......................nota 4
Regular..................nota 3
Sofrível...................nota 2
Péssimo................nota 1

O Parâmetro INtensidade de sinal é o de maior interesse das Emissoras pois através dele elas podem avaliar com que qualidade o seu sinal está sendo captado em diversos pontos do mundo.

2º) INTENSIDADE DAS INTERFERÊNCIAS:

Este segundo tópico, que se refere á letra "I" (2ª letra) da sigla SINPO e é conhecido pelos radioamadores como QRM e trata da avaliação das interferência que são causadas por outras emissoras que estão transmitindo na mesma frequência ou muito próximas.

São estas as interferências que são quantificadas neste item, não se considerando aqui as interferências causadas por condições atmosféricas, ruidos elétricos e eletrostáticos, etc.

A interferência que aquela emissora indesejada está causando em sua recepção pode ser avaliada como:
Nenhuma................nota 5
Ligeira....................nota 4
Moderada...............nota 3
Forte......................nota 2
Muito forte.............nota 1

3º) INTENSIDADE DOS RUIDOS ATMOSFÉRICOS: Este é um tópico que merece uma reflexiva e atenta observação para evitar que seja erroneamente avaliado.

Neste item, que se refere à letra "N" da nossa sigla SINPO, e equivale ao QRN dos radioamadores, o radio escuta deverá observar e avaliar somente os ruídos atmosféricos que são os causamos por descargas atmosféricas e eletricidade estática. Não são passíveis de serem incluidos os ruídos elétricos gerados pela rede de eletricidade, os ruidos causados por videogames dos filhos, lâmpadas fluorescentes, etc; pois este são de ocorrência local (de sua casa)e não tem nenhum interrese para a avaliação técnica da emissora que estamos ouvindo.

O nível de ruido atmosférico pode ser avaliado com: Nenhum.......................nota 5
Ligeiro.........................nota 4
Moderado....................nota 3
Forte...........................nota 2
Muito forte...................nota 1

4º) INTENSIDADE DO DESVANECIMENTO DO SINAL: Este tópico avalia a ocorrência de "fadding" ou seja desvanecimento de sinal que é quando uma emissora vai diminuindo a intensidade do sinal até quase desaparecer ou desaparecer e depois vai retornando até voltar a ficar audível novamente. Na ocorrência deste desvanecimento as emissoras ficam com a transmissão "bamboleante" como se alguém estivesse girando o Knob de potência do transmissor ora aumentando ora diminuindo esta. Ao se ouvir estações com muito desvanecimento somos obrigados a ficar atuando sobre o volume do receptor, aumentando quando o sinal diminui e diminuindo quando ele aumenta.

O desvanecimento é avaliado por:
Nenhum...................nota 5
Ligeiro.....................nota 4
Moderado................nota 3
Forte.......................nota 2
Muito forte...............nota 1

5º) AVALIAÇÃO GLOBAL DA QUALIDADE DO SINAL: Este último tópico, QRK para os radioamadores, a letra O da silga SINPO, é o único onde o radio escuta realiza a avaliação relacionando os demais tópicos avaliados. Assim sendo, esta avaliação não pode nunca ser com valor maior que a menor nota dada a um dos tópicos, poderá no máximo ser igual. Ou seja: Se você avaliou os quatro primeiro tópicos com: 4334, a última nota poderá ser no máximo 3. Esta condição é padronizada na apresentação dos valores de avaliação de sinal pelos radio escutas.

Para exemplo final: Digamos que o ouvinte escutou uma emissora com Intensidade de sinal boa, com interferência moderada de uma outra emissora porém com forte ruído atmosférico no momento mas, mesmo assim foi possível fazer a escuta porque o sinal da emissora se mantinha firme, uniforme, sem variação de desvanecimento.

Estes quatro tópicos seriam avaliados com:
S................................nota 4
I.................................nota 3
N................................nota 2
P................................nota 5

Por conclusão, a nota do quinto item "O" será 2 (porque é a menor das notas dadas nos outros itens) e e assim a avaliação desta escuta será: 43252

Fonte: Ulysses Galletti