Entrevista a Adrián korol, Diretor da RAE Argentina ao Mundo

DXCSF: Conte-nos como a RAE estava antes de seu gerenciamento e como está agora?

O mais importante é que, quando eu comecei meu gerenciamento, a RAE estava viva. E é a primeira coisa que devo destacar: a RAE passou por muitos anos difíceis, atingida não apenas por crises econômicas, o surgimento da Internet ou convergências tecnológicas. Esteve sozinha contra o mundo, somente defendida por seus trabalhadores, e são eles os primeiros que merecem ser reconhecidos, além de seu profissionalismo, por sua tenacidade e capacidade de defender a RAE, muitas vezes até seu próprio fechamento.

Sempre foi, para autoridades de diferentes gerências, como “O Patinho Feio”. Algo que estava posto e não sabia o que fazer, e à primeira vista a leitura parecia ser que, tendo a Internet, não havia sentido em uma estação de rádio internacional como a RAE e argumentos tão equivicados quanto isso e outros que os diexistas e ouvintes conhecem muito bem e estão ouvindo pelo menos a um quarto de século.

Assim que encontrei a RAE viva. Essa era a missão da equipe, mantê-la viva, respirando. Não havia possibilidades de pensar em outros tipos de projetos simplesmente, e isso é um fato real, porque ao chegar à RAE não tinha siquer um estúdio de rádio próprio há vários anos, seus transmissores de ondas curtas estavam fora de serviço, portanto, não estava em ondas curtas e a única possibilidade de ouvi-las era por transmissão ao vivo, em tempo real, ou seja, no momento em que os programas eram executados.

Uma rádio internacional sem estúdio, sem ar de ondas curtas, com presença muito limitada na web, sem produtores, com alguns colaboradores importantes que faziam seu trabalho grátis e por amor à rádio há anos. Na verdade, a previsão estava longe de ser a melhor, sendo otimista. A RAE não teve então, nem agora, nenhum outro orçamento ou item econômico, além dos salários de seus trabalhadores.

O que fizemos? A primeira coisa foi reunir a equipe para ouvir e ver pessoalmente o que eles já estavam ouvindo no streaming, a situação real. Eu estava na Rádio Nacional há mais de 10 anos, no mesmo local em que a RAE trabalha, que estava escondida ali em uma espécie de loft, perdida no terceiro andar do prédio, você precisava ter um GPS para chegar lá e pessoas que trabalhavam em outras estações no mesmo local, não sabia ou tinha conhecimento de onde a RAE estava localizada. Éramos algo como o CINEMA PARADISO.

Estive trabalhando durante todo o ano de 2016 com a equipe da RAE, organizamos o conteúdo e os horários de trabalho, identificamos a web com um microsite para cada idioma, colocamos o conteúdo on demand 24 horas, estávamos presentes em aplicativos como Tune in, radio garden, radiocut, etc, e também organizamos eventos no auditório da Rádio Nacional, o edifício histórico de Maipú 555 Buenos Aires, ali também conquistamos visibilidade na mídia local e estrangeira e, em fevereiro de 2017, assumi o cargo de diretor, agradecendo ao amor pelo rádio, ondas curtas e diexismo que compartilhamos com Jeff White e é um agradecimento que todos os amantes de ondas curtas devem dar a Jeff e à solidariedade da WRMI que rapidamente tornou possível que a RAE em MAIO de 2017 estivesse presente diariamente em ondas curtas via WRMI de Okechobee, com 100 kw na antena, em um esquema que está melhorando gradualmente e que foi mantido ao longo do tempo por essa empatia e sinergia conseguimos com JEFF a quem agradeço e quero muito mais do que às vezes posso demostrar.

E depois de um tempo a RAE passou a ocupar um lugar central no prédio Maipú 555, você viu Antonio, estamos no Hall Central, para que todos os que entram no prédio necessariamente passem em frente à porta da redação da RAE, também recuperamos o estúdio e hoje a RAE tem o seu próprio, sua redação localizada onde corresponde, está presente em ondas curtas via WRMI, o sistema de relés que é tecnicamente essencial nos dias de ruído, interferência, LEDs, antenas de telefone celular e roteadores wifi, para alcançar as áreas para as quais transmitimos em boas condições.

Temos nosso próprio editor da web, Julián Cortez, uma grande produtora, Silvana Avellaneda, e uma grande equipe de profissionais nas 8 línguas da RAE, Julieta Galván e Mirta Canepa em português, Keiko Ueda em japonês, em espanhol e inglês Fernando Farias, Caritina Cosulich e Marcelo Ayala, em italiano, Eric Domergue, em francês, Lina Ji Oviedo, em chinês, Rayen Braun, em alemão, a coordenadora é Laureana Rubinetti e operadores de alto nível, como Marcelo Cruz, Marcelo Marín e Guillermo Vega, entre outros. Também devemos mencionar nossos colaboradores Lisandro Ruiz e meu querido amigo e colega Arnaldo Slaen que, tenho certeza, não precisa de uma apresentação para seus leitores.


DXCSF: O que a RAE conseguiu com a conferência HFCC na Argentina?

A realização do HFCC na Argentina foi um verdadeiro sucesso, quase 70 delegados, representando emissoras e organizações internacionais de cerca de 45 países reunidos em Buenos Aires, no auditório da Rádio Nacional, para trabalhar na coordenação de frequências de HF e também participar de diferentes eventos, conferências e atividades culturais têm sido a estrutura ideal para uma semana em agosto do ano passado para se encontrar e dialogar pessoalmente com os representantes das estações de rádio mais importantes do mundo, e vale a pena a redundância, poder se encontrar e compartilhar tempo com Jeff White e sua esposa Thais. Foi maravilhoso conhecer e ser conhecido, aprender muito, projetar juntos e, entre outras coisas, gerenciar as frequências históricas do RAE para que, em princípio, elas pudessem ser usadas por nós no relé WRMI gradualmente (6060, 9690, 11710 e 15345 khz) Também recebemos o representante das equipes de transmissão da Continental com as quais começamos a gerenciar a possibilidade de transmitir ondas curtas da Gral Pacheco no futuro, incluindo o modo digital DRM, que também foi um dos eixos da reunião. do HFCC em Buenos Aires. Vale ressaltar que a UIT (Suíça) e a FCC (EUA) foram pessoalmente representadas.


DXCSF: Como estão as frequências RAE e os transmissores no Centro General Pacheco?

Já contei sobre as frequências, exceto a 9690, atualmente em uso pela Rádio Exterior de Espanha (REE), e aproveito a oportunidade para cumprimentar nosso amigo e colega Antonio Buitrago, que é o diretor da REE, as outras frequências podem ser coordenadas , há uma faixa da noite em que 6060 khz é ocupada pela Rádio Habana Cuba (que não faz parte do HFCC) e outras faixas da 11710 que o CRI ocupava no idioma russo, mas que não apresentavam grandes inconvenientes. Os transmissores de ondas curtas da Gral Pacheco estão fora de uso há anos. O último transmissor foi adquirido em 1981. A antena e o sistema de energia também estão praticamente fora de uso. Entre 2000 e 2015, foram ficando fora de serviço e sem possibilidades reais de reparação os equipamentos transmissores que, durou muito sua vida útil graças ao trabalho de toda a equipe técnica que ali trabalha junto com Alejandro Petrecca e Julio Palaia.


DXCSF: Como é a planta de transmissão geral de Pacheco?

Em General Pacheco funcionam os equipamentos de transmissão de ondas médias NAUTEL de 100 kw da LRA Radio Nacional Buenos Aires AM 870, e também a conexão com a do edifício dos estúdios centrais na cidade, serviço técnico de todas as emissoras de Rádio Nacional do país, e uma área de gerenciamento administrativo.


DXCSF: As transmissões por WRMI continuam em que horários com a mudança do período de rádio A20?

Consulte essas informações na página WRMI, que certamente é atualizada e, devido aos fatos do conhecimento público da epidemia de COVID19, ainda não tenho os dados em mente e quero responder rapidamente às suas perguntas para o boletim.


DXCSF: Como estão os progressos das melhorias no RLA 36 "Arcanjo San Gabriel"?

Por mais de um mês, dois técnicos do LRA viajaram para a Base de Esperanza para reparar o equipamento de ondas curtas de 10 kw para 15476 KHZ. A logística é muito complexa para viajar para lá, o mesmo para a movimentação de equipamentos. A Rádio Nacional adquiriu duas novas válvulas que eram muito caras para esse equipamento; no entanto, ele não pôde ser reparado nem mesmo ao abri-lo, eles descobriram a falta de outros componentes e reparos que não eram detalhados anteriormente, de modo que o reparo foi adiado, no entanto, a linha foi alterada fonte de alimentação e roteamento aprimorado da antena, além da conectividade com a Internet LRA36, também instalando um equipamento Tieline que nos mantém conectados. Conseguimos, desde setembro do ano passado, realizar um trabalho conjunto entre a RAE e o LRA36, com várias transmissões especiais feitas com uma equipe Collins do Exército Argentino, sempre a 15476 KHz e, é preciso dizer, que essas atividades foram muito bem recebidas por todos no mundo. Amantes de rádio e DX.


DXCSF: O RAE também poderia ser transmitido pela "Base Antártica Esperanza" através do RLA 36 "Arcanjo San Gabriel"?

A Base é território argentino e, de fato, quando está em condições operacionais, é muito possível que a RAE faça uma transmissão diária por idioma usando 15476 kHz da Antártica.


DXCSF: Quais são as ações da RAE neste momento de pandemia no mundo?

Será mais fácil para você procurar no site atual da RAE, mesmo em espanhol, onde encontrará todas as informações sobre os programas especiais MADE IN CASA e a atualização diária em 8 idiomas das informações oficiais sobre a pandemia. A idéia é continuar trabalhando em casa, com muita emoção e sabendo que nosso público está muitas vezes nos pontos do planeta em que está passando um momento ainda pior do que em nossa região.

POR FAVOR, veja: RAE Argentina

Obrigado e a todos os leitores do boletim tão amado do DXCSF, um cordial 73 e um bons DX ... SEM FRONTEIRAS!!!!!

VIVA O RÁDIO.