Entrevista ao Dexista e Radioescuta Nelcy Remedy Bidart (NRB), de Sant'Ana do Livramento, Rio Grande do Sul – Brasil.

DXCSF: Há quanto tempo é Dxista?
NRB: Há 46 anos, mas desde menino já escutava algumas emissoras em ONDAS CURTAS.

DXCSF: Quais as emissoras que ouvia e qual marcou sua trajetória no início do hobby?
NRB: Iniciei ouvindo a RNW e A VOZ DO LÍBANO em espanhol, a DEUTSCHE WELLE, EMISSORA NACIONAL SUIÇA, BBC, RAI, RCI e VOA em português, mas logo já contabilizei mais de 50. A RNW, DW além d'A VOZ DA AMÉRICA indistintamente me marcaram positivamente.

DXCSF: Das emissoras ouvidas no início do hobby qual programa lhe chamava atenção, a emissora ainda está ativa?
NRB: Programa EIS A RESPOSTA da VOA, respondia qualquer tipo de dúvida ou curiosidade. Ativa na atualidade mas sem a grandiosidade do passado.

DXCSF: Na atualidade qual a emissora que mais ouve e o programa que participa?
NRB: Entre as mais ouvidas posso citar: NHK, VOV e CRI. PONTO DE ENCONTRO da NHK e CITA DE CORRESPONDENCIA da VOV. Ouço bastante também as rádios PRAGA, ESLOVÁQUIA e BULGÁRIA na INTERNET.

DXCSF: Já participou nas emissoras sendo entrevistado, qual ou quais e que ano?
NRB: Sim, CRI em 2011 e 2012, RFI em 2011 e 2012, RNW em 2012 e NHK EM 2013.

DXCSF: Qual a emissora que ouviu e que achou que foi a mais difícil de escutar?
NRB: Posso citar a RÁDIO YEREVAN da ARMÊNIA.

DXCSF: Qual a sua opinião em relação às emissoras que abandonaram e das que estão pensando em abandonar as Ondas Curtas?
NRB: É profundamente lamentável, muito triste para todos nós dexistas e radioescutas do mundo inteiro. Além da redução orçamentária as emissoras não possuem vontade política.

DXCSF: As novas tecnologias realmente vieram para dar um fim às ondas do Rádio de um modo geral, qual a sua opinião?
NRB: Elas são mais baratas e forçam as mudanças, mas acredito muito ainda nas emissoras que utilizam‐se das ondas curtas. No ínicio tivemos as transmissões diretas, depois com retransmissores, satélites e agora a web.

DXCSF: Os eventos (concursos) que o DXCSF vem realizando qual a sua opinião?
NRB: São atuais, práticos e satisfazem plenamente seus participantes. O DXCSF destaca‐se fundamentalmente na defesa das emissoras de rádio e seus ouvintes.

DXCSF: O que é o hobby do dexismo (dxismo) pra você?
NRB:É um meio de cultura e conhecimento que proporciona aos seus praticantes momentos de lazer sem sair de casa. AS RÁDIOS NECESSITAM DE OUVINTES OS OUVINTES NECESSITAM DE RÁDIOS

DXCSF: Algo mais que desejas informar?
NRB: Aconteceu comigo:
Todo mundo sabe que o dexista quer escutar o máximo de emissoras e possuir também o máximo de QSL's. Baseado nessa premissa na década de 70 procurei as rádios do leste europeu para ampliar meu hobby. Foi só manter contato, receber alguns QSL's e fui parar no DOPS, órgão de repressão do governo, com ficha e foto. Fui perseguido, caluniado, difamado e injustiçado pelas autoridades ditatoriais do Brasil. Foi uma fase que me deixou muito magoado e entristecido a tal ponto que desisti de escutar rádios, interrompendo minha atividade por muitos anos.

Não cometi nenhum crime e fui assim maltratado. Na época a repressão foi enorme e a polícia a qualquer custo procurava chifre em cabeça de cavalo. Já me considerava ouvinte assíduo de RÁDIO TIRANA, RÁDIO BUCAREST, RÁDIO BUDAPEST, RÁDIO PRAGA, RÁDIO SOFIA, RÁDIO BELGRADO, RÁDIO WARSÓVIA, RÁDIO BERLIM.

Esqueci que o período era de ditadura no Brasil, não deu outra. Os telefonemas para as Escolas onde lecionava Educação Física na época começaram a colocar em pânico meus colegas , familiares e amigos e até eu.

Algo estava errado pois era um caso de polícia envolvendo um simples cidadão que segundo os policiais comprometia a segurança nacional. A arma do crime foi ter recebido por correio um QSL da RÁDIO BUDAPEST da HUNGRIA. O enigma era saber meu envolvimento como informante para o país comunista.

Após muita tensão, apresentei‐me com um advogado e os fatos foram esclarecidos embora tenha ficado com a ficha no DOPS. Eu era apenas um dexista.

Entrevistas anteriores

Entrevista a Adrián korol, Diretor da RAE Argentina ao Mundo

Entrevista a Luis Valério Valladão, Dexista e Radioescuta